Fortalecendo a atuação democrática de comunidades

Antigos e Novos Registros de uma Experiência em Processo

Recém-lançado nos Estados Unidos neste mês de abril de 2014, na cidade de Dayton, onde está sediada a Fundação Kettering, a tradução para o português do livro “For communities to work” escrito originalmente em inglês, foi muito elogiada pela oportunidade de ampliar a sua disseminação no Brasil e nos países de língua portuguesa.

Talvez não haja, na atualidade, um debate mais acalorado do que o desencadeado pela palavra “democracia”. Ela associa-se aos mais variados entendimentos e contextos. Assim, a publicação deste livro busca ampliar essa discussão, ao sugerir que, de modo complementar às tradicionais formas de se fazer política, as comunidades busquem criar relações mais produtivas entre si e com autoridades governamentais, na busca de soluções para os problemas comuns.

Assim como o livro “Existe público para a escola pública?”, de autoria também de David Mathews, publicado pela Editora da Universidade Estadual de Londrina, em 1999, esta obra amplia o conceito de “público”, substantivo concreto e não apenas adjetivo, para referir-se àquilo que é financiado pelo Estado. “Público” alcança outra dimensão nas diversas seções que explicitam como a deliberação pública pode contribuir para a construção de formas democráticas de convivência e de agência cidadãs.

A partir da identificação de que temos problemas com as maneiras costumeiras de se fazer política, o autor, em linguagem acessível e didática, nos convida a refletir sobre como podemos superar alguns dos obstáculos que impedem a ação coletiva na busca de uma vida melhor. Com exemplos ilustrativos da experiência dos fóruns deliberativos nos Estados Unidos, somos convidados a considerar alternativas de fortalecimento comunitário a partir do diálogo que não teme o conflito: ao contrário, toma-o como ponto de partida para a construção de novos entendimentos e novas compreensões dos problemas comuns.

Com a advertência de que não se trata de um receituário para resolução de problemas nas comunidades, o autor apresenta alguns passos fundamentais para que se alcance o que chama de “discernimento público”, essencial para que a democracia possa ser plenamente exercida. A deliberação pública, ou seja, a capacidade das comunidades decidirem rumos e empreenderem ações coletivas, torna-se peça fundamental no funcionamento pleno da democracia.

No momento em que nosso país busca o fortalecimento institucional da democracia representativa, esta obra traz uma contribuição importante para pensarmos como o cidadão comum, nas suas comunidades, pode produzir uma nova cultura política baseada no comprometimento com as transformações sociais.

Ao ter a oportunidade de conhecer o potencial de um público deliberativo, o leitor poderá reavaliar o modo como tem compreendido a política e, quem sabe, vislumbrar possibilidades de atuação coletiva antes não imaginadas. Se assim for, teremos avançado para ampliar o sentido de democracia e o potencial de atuação de comunidades, sejam elas locais ou nacionais.